Mundo nas mãos

"Não rogo que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. Eles não são do mundo, assim como eu não sou do mundo." (Jo 17:15-16)

Você sabia que existe um fenômeno chamado Encontro das águas, onde dois rios se encontram e, por uma longa extensão, suas águas não se misturam?

 São os  rios Negro e Solimões, correm lado a lado e em um percurso de, aproximadamente, 6 Km eles não se misturam, até se tornar um só, quando se juntam e recebe o nome de Rio Amazonas.


Assim devemos ser nós no mundo, convivemos lado a lado com a desordem e o caos mas não devemos nos contaminar com tais coisas, não permitindo que influências externas nos influenciem internamente, pois "estamos no mundo, mas não somos do mundo" (Jo 17:14).


Felizes são aqueles que não se deixam levar pelos conselhos dos maus, que não seguem o exemplo dos que não querem saber de Deus e que não se juntam com os que zombam de tudo o que é sagrado! Pelo contrário, o prazer deles está na lei do SENHOR, e nessa lei eles meditam dia e noite. (Salmos 1:1-2)

 

Veja também:



Paulo nos diz: “Não vos enganeis. As más companhias corrompem os bons costumes” (1 Co 15:33); “não vos associeis com os incrédulos, mas adverte-o como irmão” (2 Ts 3:14-15). Mas isso não quer dizer excluir pessoas do nosso convívio, porque não compartilham da mesma fé que a nossa, pois os cristãos genuínos não excluem, mas incluem, sem se associar com suas práticas, e sim, exortando-os e retendo apenas o que for bom e agradável a Deus (1 Ts 5:21). Todavia, esse advertir não é impor, mas expor o que é correto conforme as escrituras e não as suas próprias convicções. Como dito por MacArthur Jr.: "Somos, antes, enviados para ser embaixadores de Cristo; emissários de sua graça e misericórdia.  E não estamos aqui por acidente. Fomos plantados neste mundo pelo Senhor. Nunca devemos fugir do mundo. Não nos é ordenado enclausurar-nos num mosteiro ou escapar com outros crentes para uma comunidade santa. Devemos ficar onde fomos plantados e frutificar. Podemos até mesmo ter uma influência positiva sobre o joio. [...] Não compete ao crente condenar o mundo ou forçar uma reforma externa sobre ele, embora devamos pregar contra os seus pecados. É nos ordenado ensinar o evangelho (cf. Mt 28.19, 20) e viver como exemplos de retidão."


Afinal, para quem a mensagem seria pregada? Como poderíamos propagar o amor de Cristo se excluíssemos do nosso meio todos aqueles que não o seguem? Muitos distorcem a palavra de Deus e usam do livre arbítrio para viverem de acordo com suas próprias vontades, é certo que Deus não nos fez marionetes, mas seres pensantes livres, porém ele não disse tudo é lícito, então viva conforme o seu prazer, pelo contrário ele nos disse “tudo te é lícito, mas nem tudo te convém”.


Não vivam como vivem as pessoas deste mundo, mas deixem que Deus os transforme por meio de uma completa mudança da mente de vocês. Assim vocês conhecerão a vontade de Deus, isto é, aquilo que é bom, perfeito e agradável a ele. (Rm 12:2 LAT)


Como seguidores de Cristo, precisamos conviver harmoniosamente, sem exclusões, porém sem nos conciliar com seus hábitos, para que não venhamos a ser corrompidos com as más companhias e costumes, pois as tentações do mundo são prazerosas, não sendo influenciados, mas influenciadores do Reino de Deus, para que no fim do percurso possamos nos unir, assim como os rios Negro e Solimões sendo o corpo de Cristo.

0 Comentários