Livro cartas de um diabo a seu aprendiz sobre a mesa

Cartas de um diabo a seu aprendiz (The Screwtape Letters) foi publicado pela primeira vez no The Guardian em 1942. O livro do genial escritor C. S. Lewis é uma compilação de cartas satíricas do tio Maldanado (diabo) a seu sobrinho (Vermelindo), um demônio aprendiz, instruindo-o a usar artimanhas para conquistar a alma de um jovem recém convertido ao cristianismo, denominado de “paciente”.


Capa do Livro cartas de um diabo a seu aprendiz

Sinopse: Irônica, astuta, irreverente. Assim pode ser descrita esta obra-prima de C.S. Lewis, dedicada a seu amigo J.R.R. Tolkien. Um clássico da literatura cristã, este retrato satírico da vida humana, feito pelo ponto de vista do diabo, tem divertido milhões de leitores desde sua primeira publicação, na década de 1940; agora com novo projeto gráfico e tradução atual. Cartas de um diabo a seu aprendiz é a correspondência ao mesmo tempo cômica, séria e original entre um diabo e seu sobrinho aprendiz. Revelando uma personalidade mais espirituosa, Lewis apresenta nesta obra a mais envolvente narrativa já escrita sobre tentações ― e a superação delas.

Título: Cartas de um diabo a seu aprendiz | Autor: C. S. Lewis | Editora: Thomas Nelson Brasil (1ª Ed. 2017) |Páginas: 208 | Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐


Veja outras resenhas dos livros de C. S. Lewis:


Com um humor irreverente, Lewis utiliza situações  do dia a dia para ilustrar a peregrinação de um demônio tentando minar a fé do cristão, desviá-lo do seu chamado e o afastar dos propósitos firmados com Deus. Nas cartas temos uma inversão nos papéis de Pai e Inimigo, como se trata de uma conversa entre demônios, Pai é o diabo e o Inimigo é Deus. Pois esta é exatamente o maior desejo do diabo tornar o homem inimigo de Deus.


Mas lembre-se de que a única coisa que importa é o quanto você consegue afastar o homem do Inimigo. Não importa quão pequenos são os pecados desde que o seu efeito cumulativo seja o de desviar o homem para longe e para fora da luz, direto para o Nada.


Nos conteúdos das cartas, o tio orienta detalhadamente, seu sobrinho estagiário, como deve proceder ao usar acontecimentos da vida para aprisionar a alma do “Paciente”, como as situações, não apenas as ruins, mas, também, as boas podem ser utilizadas para perverter uma pessoa, as oscilações entre os altos e baixos vivenciadas pelo homem devem ser aproveitadas pelo demônio como uma oportunidade de fisgá-lo por completo, são situações denominadas de Lei da Ondulação. Objetivando desviar a atenção do homem para os prazeres do mundo ou afogá-lo em suas desilusões, destruindo o desejo de um relacionamento pleno com Deus e se apossar totalmente de sua alma. Fazendo uma distinção entre os propósitos do inferno e os propósitos dos céus, como dito neste trecho:

“O que nós queremos é apenas gado que possa acabar nos servindo de comida; ele deseja servos que possam acabar se tornando seus filhos. Nós desejamos sugar, ele deseja retribuir. Nós somos vazios e queremos ser preenchidos; ele é pleno e, por isso, transborda. O objetivo de nossa guerra é um mundo em que o Nosso Pai nas Profundezas tenha absorvido todos os outros seres em si: Já o Inimigo deseja um mundo cheio de seres unidos a ele, mas que, ainda assim, continuem sendo distintos.” 


Assim, a atividade principal do seu aprendiz é abalar a fé e evitar a formação de virtudes. Impedir o “Paciente” de investir tempo com orações, pois sempre que estiver a serviço de Deus, os demônios são derrotados e para isso seria necessário desviar a atenção do “paciente” para si mesmo e suas vontades.


Cartas de um diabo a seu aprendiz  é excepcionalmente maravilhoso, uma obra magistral, nele aprendemos não apenas como resistir às investidas do diabo, mas também, como nos aproximarmos mais de Deus, pois são citadas várias tentações comuns na vida, não apenas de novos convertidos, mas das pessoas, em geral. As adversidades ou indecisões que poderão surgir futuramente, serão analisadas numa visão amplificada e diferenciada após a leitura desta obra. 


Pense num escritor “arretado” esse tal de Lewis! A maneira como desenvolveu as cartas, é de uma naturalidade impressionante, a narrativa toma forma imaginativa quase real, que nos introduz numa intensa reflexão sobre nossas próprias atitudes frente aos acontecimentos da vida. E das inúmeras vezes que somos vencidos pelo maligno ao tiramos os olhos de Deus para focarmos nas adversidades. Lewis diz que foi uma obra fácil de escrever, porém a menos prazerosa, pois adotar uma atitude diabólica, gerava uma espécie de câimbra espiritual: “O mundo no qual eu tive de me projetar enquanto falava por meio de Maldanado era todo feito de poeira, cascalho, sede e irritação. Todo e qualquer traço de beleza, frescor e genialidade teve de ficar de fora. Eu me senti sufocado quando estava prestes a terminar, e teria asfixiado meus leitores se tivesse estendido a coisa.” 


O livro é fantástico, claro, objetiva e edificante. Dica de leitura, principalmente se você é um novo convertido ou sente-se enfraquecido na fé. Por fim, deixo algumas citações do livro “Cartas de um diabo a seu aprendiz”:


Nossa raça pode cair em dois erros igualmente graves, mas diametralmente opostos, quanto aos demônios. O primeiro é não acreditar na existência deles. O outro é acreditar que eles existem e sentir um interesse excessivo e doentio por eles.


A estrada mais segura para o Inferno é gradativa — a ladeira é suave, o solo é macio, sem curvas acentuadas, sem marcos e sem postes indicadores.


A gratidão olha para o passado e o amor, para o presente; Já o medo, a avareza, a luxúria e a ambição têm os olhos no que está por vir.


0 Comentários