Livro Diante da porta estreita sobre a mesa
 

“Só se pode entrar no céu pela porta estreita! O caminho que leva para a perdição é amplo, e sua porta é bastante larga; multidões escolhem passar por ela. Mas a porta que leva à vida é estreita e o caminho é apertado, e poucos o encontram.” (Mateus 7:13-14)



livro Diante da porta estreita
Sinopse: Charles Spurgeon escreveu este livro em 1890 com um grande propósito, o mesmo de toda sua vida desde sua conversão em 1850: anunciar a Jesus Cristo, aquele que veio “buscar aos pecadores”, aquele que levou a ira de Deus em nosso lugar na cruz e ressuscitou ao terceiro dia para nossa justificação e salvação Nele mesmo.
Neste livro Diante da porta estreita, Spurgeon pega seu leitor pela mão e o leva a Cristo, o leva a fé em Cristo, o dirige para fora dos buracos da dúvida e da incredulidade sem fundamento. Coloca sua mão sobre o ombro de todo aquele que está diante da Porta Estreita, parado, atônito, sem saber como proceder, e clama para que ele passe por ela, e do outro lado, louvem ao Senhor e também ajudem outros a entrarem por essa porta; essa foi a tônica do ministério de Spurgeon, a exaltação de Cristo e sua salvação, e nossa oração e desejo para o Senhor é que essa obra seja usada pelo Espírito Santo para cumprir com essa santa vocação.


Título: Diante da Porta estreita – Uma conversa franca acerca da fé cristã | Autor: Charles Spurgeon | Editora: Estação da fé (2016) | Páginas: 109 | Gênero: Literatura Cristã | Ano da Primeira publicação: 1890 | Classificação: ⭐⭐⭐⭐⭐


Escrito há mais de cem anos, “Diante da porta estreita” de Spurgeon, é um livro dedicado aos indecisos, aqueles que estão “em cima do muro”, a um passo de decidir entregar-se por completo a Jesus. Porém, também, é válido para todo aquele que mesmo já tendo passado pela porta, ainda não se firmaram na fé professada. O livro traz ilustrações que ajudam o leitor a mentalizar as situações vivenciadas em sua trajetória. Excelente indicação de leitura!


Foto Charles Spurgeon e citação
Houve um tempo em que eu precisei de
evidências para crer no Senhor Jesus; mas agora eu O conheço tão bem, por experimentá-lo, que eu precisaria de muita evidência para que eu duvidasse.



Talvez você goste deste outro livro de Spurgeon: Preparados para o combate da fé 



O propósito do livro é dissipar a incredulidade e sanar as dúvidas dos indecisos. De forma clara e objetiva, Spurgeon conduz o leitor a uma autoanálise do que vem a ser crer em Cristo e dá um passo de fé na vida cristã.


Homem diante da porta
“Aquele que não dá o passo da fé, e, portanto, não entra na rua para os céus, perecerá. Será uma coisa triste morrer justo fora da porta da vida. Quase salvo, mas ainda perdido! Essa é a pior das posições.”



Spurgeon faz uma exortação para o despertamento, muitos acordaram, mas ainda estão sonolentos,  ou seja, compreenderam o que o sacrifício de Jesus significa, mas, não tem a atitude de viver uma fé transformada. Saber que tal trajeto te leva a padaria, não fará você chegar até lá, a menos que você siga o trajeto, da mesma forma, não basta entender que está vivendo em pecado, mas abandona-lo definitivamente, não basta conhecer e aceitar as Escrituras  Sagradas como verdadeiras, mas praticá-las e se entregar na obra completa de Jesus Cristo.  “Despertar, ó tu que dormes!” (Efésios 5:14)



“Cada despertar que passa deixa a alma mais sonolenta que antes, e menos apta a ser novamente sacudida com sentimentos santos.
[...]
Lembre-se: despertar não é ser salvo. Um homem pode saber estar perdido, e ainda assim nunca ser salvo.”


Outro ponto, extremamente importante, a ser destacado no livro é sobre afagar o pecado no coração, esse vem a ser um grande impedimento para o verdadeiro encontro com Cristo, pois o pecado faz separação entre o homem e Deus. Ser salvo implica em viver uma vida transformada, como diz o próprio Spurgeon: “Fingir confiar em Cristo para lhe salvar do pecado enquanto você ainda está determinado a continuar nele, é fazer piada de Cristo.”



Como dito no início da resenha, esta é uma obra também para os cristãos que têm um ídolo cravado na alma e um pecado guardado no coração. O cristão hipócrita que vive uma fé firmada, não em Jesus, mas em suas próprias convicções. A obra nos instiga a fazer uma autoanálise: “Examine-me, ó Deus, e conheça o meu coração! Ponha os meus pensamento­s e emoções ansiosos à prova, tome conhecimento de tudo! Veja se há em mim algum caminho mau e oriente-me para que eu ande pelo caminho da vida eterna” (Salmos 139:23-24).



Por tanto, “Diante da porta estreita” é um livro que aborda temas relevantes para aqueles que estão parados diante da porta, e não decidem ultrapassá-la, seja por medo, apego a algo, incredulidade ou falta de confiança. No fim da leitura, o leitor será capaz de entender o real significado do sacrifício de Cristo na cruz e compreender que atravessar a porta, não é apenas professar: “Eu creio em Ti, meu Salvador!”. Mas, implica em mudança de coração, de atitude, de vida, ser um imitador de Cristo, confiando plenamente nEle. Desejo que você não apenas entenda, mas decida viver a fé que acabou de compreender. 


0 Comentários