Olhos abertos

"O orgulhoso acaba sendo humilhado, mas quem é humilde será respeitado."(Pv 29:23 LAT)

Você pode se perguntar: Então, estou pecando ao me orgulhar das minhas conquistas? Não. Esse tipo de orgulho é positivo, é a satisfação ao esforço e persistência que geraram frutos. O orgulho perigoso é aquele que exalta o ego nos tornando soberbos, prepotentes, altivos, arrogantes e nos afasta de Deus. Teve início com Lúcifer, o anjo caído, mas na bíblia podemos encontrar muitos outros personagens orgulhosos como: Naamã, Nabucodonosor, Ezequias, Hamã, Uzias, Belsazar, o fariseu, entre outros, todos contaminados pelo orgulho, neste post será apontado quatro desses personagens:


1. Lúcifer – O anjo caído 

Lúcifer era um anjo protetor, luminoso, sábio e  belo, mas exaltou sobremaneira o ego, “seu coração tornou-se orgulhoso por causa da sua beleza, e corrompeu a sua sabedoria por causa do seu esplendor” (Ez 28:14-17), fomentou ser superior a Deus, “Subirei aos céus; erguerei o meu trono acima das estrelas de Deus; eu me assentarei no monte da assembleia, no ponto mais elevado do monte santo. Subirei acima das nuvens mais altas e serei como o Deus Altíssimo” (Is 14:13-14). E iludiu um terço dos anjos para o acompanharem em seu propósito. O orgulho de Lúcifer destruiu seu esplendor.

O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda. (Pv 16:18)

 

 2. Naamã – O comandante de olhos altivos

Naamã, o comandante do exército do rei da Síria, que contraiu lepra, era  jactancioso, de olhos altivos, se gabava dos seus títulos de suas capacidades como militar. Esperava que o profeta Eliseu fosse até ele e fizesse o milagre da cura, no entanto, recebeu apenas um recado, o que considerou um despautério não ter seu pedido atendido e ainda ter que ir se banhar por sete vezes no rio para ser curado: “Naamã, porém, indignado, retirou-se, dizendo: Eis que pensava eu: Certamente ele sairá a ter comigo, pôr-se-á em pé, invocará o nome do Senhor seu Deus, passará a sua mão sobre o lugar, e curará o leproso. Não são, porventura, Abana e Farpar, rios de Damasco, melhores do que todas as águas de Israel? não poderia eu lavar-me neles, e ficar purificado? Assim se voltou e se retirou com indignação (2 Rs 5:11-12)”. O orgulho de Naamã era pior que a lepra que dilacerava seu corpo. 

Olhar altivo e coração orgulhoso, tal lâmpada dos ímpios é pecado. (Pv 21:4)


Veja também:


 3. Nabucodonosor -  Um rei arrogante 

O rei Nabucodonosor, era um grande estrategista militar, responsável por construções como os Jardins Suspensos e por transformar a  Babilônia em uma potente cidade. Mas, a arrogância o contaminou e Nabucodonosor gloriou a si mesmo ao contemplar a cidade dizendo: "Acaso não é esta a grande Babilônia que eu construí como capital do meu reino, com o meu enorme poder e para a glória da minha majestade?" (Dn 4:30). E, por causa do seu orgulho, Nabucodonosor foi expulso do meio dos homens e passou viver com os animais selvagens, a comer capim como os bois – transtorno psiquiátrico chamado Licantropia. Porém, aprendeu com seu erro, arrependeu-se e teve a oportunidade de se redimir e reconheceu a soberania de Deus. O orgulho de Nabucodonosor era maior que seu reino.


"Não se glorie o sábio em sua sabedoria nem o forte em sua força nem o rico em sua riqueza, mas quem se gloriar, glorie-se nisto: em compreender-me e conhecer-me, pois eu sou o Senhor e ajo com lealdade, com justiça e com retidão sobre a terra, pois é dessas coisas que me agrado", declara o Senhor. (Jr 9:23-24)


4. Hamã – O ministro prepotente 

Hamã foi nomeado para o cargo de ministro da Pérsia, função abaixo apenas do rei Assuero, que determinou também que todos deveriam se curvar perante Hamã, porém, um judeu chamado Mordecai recusava-se a reverenciá-lo: “Hamã saiu do banquete alegre e feliz da vida. Porém, quando chegou perto da entrada do palácio, ele encontrou Mordecai ali e ficou furioso porque Mordecai não se curvou diante dele, nem fez qualquer outro sinal de respeito” (Es 5:9). Dominado por sua prepotência Hamã planejou matar, não apenas Mordecai, mas massacrar todos os judeus. Porém, seus planos foram frustrados e Hamã foi morto na própria forca que construiu para Mordecai. O orgulho de Hamã o condenou a morte.

Virá o dia em que os orgulhosos serão humilhados e os vaidosos serão rebaixados; e somente o SENHOR receberá os mais altos louvores. (Is 2:11)


O orgulho afasta o homem de Deus, pois exalta a si mesmo, se autopromove demasiadamente, depositando sua confiança em sua própria sabedoria. Como vencer o orgulho? Reconhecendo essa falha em sua personalidade e identificando os efeitos em seus pensamentos, palavras e atos, se redimir deste pecado que o Senhor detesta. Porém, essa é uma tarefa difícil de discernir e aceitar, pois o orgulhoso tem a tendência de não admitir que possui tal pecado, por isso, Jesus nos exorta a aprendermos com ele: “Sejam meus seguidores e aprendam comigo porque sou bondoso e tenho um coração humilde; e vocês encontrarão descanso” (Mt 11:29). A chave que destranca a porta do orgulho chama-se humildade, e quanto mais perto estiveres de Cristo,  maior acesso terás a ela.


0 Comentários