Parasita é uma produção sul-coreana, dirigido por Bong Joon-ho, lançado em 2019, ganhador de 4 Oscar 2020 (Melhor filme, roteiro original, diretor e filme internacional), se tornando a primeira produção não falada em língua inglesa a vencer como Melhor Filme. O longa-metragem faz uma sátira social, seguindo por vários gêneros sem apegar-se a nenhum, mas eu diria que é uma dracomédia.

Sem mais delongas, vamos ao filme!

Parasita retrata a vida de duas famílias de classes sociais muito distintas. De um lado, temos a família Kim formada por quatro integrantes, pai, mãe, filha e filho, todos desempregados, que moram em um porão sujo, com uma única janela que serve de banheiro para os bêbados que passam pela rua. Do outro, uma família rica, os Park’s, também formada por quatro integrantes e moram em uma mansão.

As coisas começam a mudar quando o amigo de Ki-Woo (Choi Woo-shik) filho caçula da família Kim, recebe uma proposta de seu amigo que vai estudar no exterior, indicando-o para ser tutor de inglês da filha dos Park’s. Sua irmã Ki-Jung (Park So-Dam) falsifica a documentação necessária para Ki-Woo apresentar na entrevista. A partir daí, a família Kim começa a demonstrar suas habilidades em criar todos os artifícios possíveis para crescerem socialmente, utilizando-se de trapaças e mentiras.  Os Kim’s desmembra um plano que coloca todos os quatro integrantes da família trabalhando na casa do milionário Donk-Ik Park, todos com identidades diferentes.

No entanto, sabemos que conquistas utilizando-se de trapaças e mentiras, com estratégias que fogem ao caráter e a idoneidade, não duram por muito tempo.

Tudo estava indo muito bem, até que a família Park vai acampar, e os Kim's se instala na mansão como se fossem os donos, até que algo inusitado acontece ao receberem a visita da ex-governanta, e a história começa a tomar um rumo totalmente diferente do arquitetado pelos Kim's.

Dois pontos bem marcantes do filme, é quando o filho caçula dos Park’s reconhece os empregados pelo cheiro, um aroma descrito em algumas cenas, pelo milionário, como desagradável, cheiro de pessoas que pegam metrô. E esse foi o ponto crucial do filme, a repugnância demostrada em palavras e gestos, resultou em violência, mas sabemos que o fim não justifica os meios. O outro ponto é a cena da inundação, que fez o esgoto transbordar dentro do porão dos Kim’s, em que toda classe baixa foi afetada, ficando todos desabrigados. Enquanto isso, para os milionários o temporal veio em boa hora, pois a grama da mansão estava seca.

O diretor Bong Joon-ho faz uma crítica focando o conflito de classes sociais, uma história sobre o capitalismo, o filme estabelece pontos em que as diferenças e injustiças se encontram e tragicamente se estilhaçam. Por fim, você pode se perguntar quem é mesmo o parasita dessa intrigante história?

Filme: Parasita
Diretor:  Bong Joon-ho
Ano: 2019

0 Comentários